Bees Made Honey in the Vein Tree – Medicine

 

a2611950678_16

O nome é atípico em relação à grande maioria das bandas do gênero, a capa também traz algo mais peculiar e menos convencional. Esses são alguns dos ingredientes que me fizeram gostar de Medicine, álbum de estreia da banda alemã Bees Made Honey in the Vein Tree, lançado no dia 19 de Janeiro.

A proposta da banda é clara, a reunião do Psych, Doom e Stoner é claramente exemplificada desde os primeiros instantes de “Every Night I Walk the Same Trail of Thought”, faixa de abertura do álbum. Mas indo além disso, a forma como a banda foi capaz de criar uma sonoridade em que a mesmo tempo nos presenteia com longas e hipnóticas passagens, onde as doses de psicodelismo são acentuadas e extravasam à partir dos ritmos cadenciados e harmonias sutis feitas pelo grupo, também se demonstra apta a introduzir passagens pesadas, culminando em um intensidade que o fará se sentir em meio uma tempestade de areia no deserto.

É através desse contraste que a banda nos conduz pelas das cinco faixas que compõem o álbum, desenvolvendo uma atmosfera alucinógena e em certos momentos até algo onírico, para em seguida introduzir passagens repletas de peso e intensidade, como nas faixas “Burn the Sun” e “Medicine”. E ainda temos o combo formado por Sail Away I e II, destacando principalmente a parte II que possui algumas das melodias mais belas e alucinantes de todo o álbum. E é sempre alternando, deixando nossas mentes transitarem pelos ritmos sem saber o que virá a seguir, que Medicine se mostra um álbum agradável e inteiramente recomendável à todos aqueles que apreciam o gênero.

Faixas Favoritas: Every Night I Walk the Same Trail of Thought e Sail Away II

 

Acompanhe a banda no Facebook e Bandcamp.

(translation in the comments)

Anúncios

Uma opinião sobre “Bees Made Honey in the Vein Tree – Medicine”

  1. ALBUM REVIEW: Bees Made Honey in the Vein Tree – Medicine

    The name is atypical in relation to the vast majority of bands of the genre, the artwork also brings something more peculiar and less conventional. These are some of the ingredients that made me like Medicine, debut album by the German band Bees Made Honey in the Vein Tree, released on January 19th.

    The band’s proposal is clear, the meeting of Psych, Doom and Stoner is clearly exemplified from the earliest moments of “Every Night I walk the Same Trail of Thought”, the album’s opening track. But going beyond that, the way the band was able to create a sound in which at the same time present us with long and hypnotic passages, where the doses of psychedelic music are accentuated and vented from the mid-slow rhythms and subtle harmonies made by the group, it is also shown to be able to introduce heavy passages, culminating in an intensity that will make him feel in the midst of a sandstorm in the wilderness.

    It”s through this contrast that the band leads us through the five tracks that make up the album, developing a hallucinogenic atmosphere and at certain times even something dreamlike, to then introduce passages filled with weight and intensity, as in the tracks “Burn The Sun” and “Medicine”. And we still have the combo formed by Sail Away I and II, highlighting primarily part II that possesses some of the most beautiful and hallucinating melodies of the entire album. And it’s always alternating, letting our minds go through the rhythms without knowing what will come next, that Medicine shows a pleasant and fully commendable album to all those who appreciate the genre.

    Favorite tracks: Every night I walk the same trail of thought and sail Away II

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s