Geezer – Psychoriffadelia

Padrão

a1339905738_16

Facebook / Bandcamp
Kozmik Artifactz / STB Records

É uma boa época para os fãs da banda Geezer, poucos meses após o elogiado álbum auto intitulado a banda retorna com seu novo trabalho Psychoriffadelia, lançado via Kozmik Artifactz e STB Records. E sem se prender restritamente ao que foi apresentado no álbum anterior, a Geezer segue sua jornada pelo universo dos riffs pesados e música chapada.

Possuindo uma abordagem que relembra algo vindo da cena do Stoner Rock dos anos 90, assim como o acréscimo gênero de elementos do Blues Rock e doses intoxicantes de Psicodelismo, o álbum será amplamente apreciado pelos fãs do gênero. Da abertura com o cover excepcional de “Hair of the Dog” da Nazareth até os últimos acordes da faixa de encerramento “Dirty Penny”, o trio formado por Pat Harrington (vocal, guitarra),Richie Touseull (baixo) e Charles Ruggiero (bateria), demonstra todo seu poderio nos quase 40 minutos de duração do álbum.

“Stressknots” entrega doses delirantes do Stoner Rock Bluesy que o trio sabe fazer com muita autoridade, destacando a grande performance vocal do Pat. Já “Red Hook” segue uma abordagem que combina o Blues com o Folk, com o slide da guitarra sendo frequentemente o destaque da faixa que apresenta um tom mais reflexivo. “Psychoriffadelia” e “Dirty Penny” são as duas faixas mais longas do álbum, ambas apresentando desenvolvimentos interessantes. Enquanto “Psychoriffadelia” apresenta uma aura cósmica e atmosferas nebulosas que equivalem à essência do trabalho anterior, “Dirty Penny” trata de abalar todas as estruturas com ritmos fortes e riffs contagiantes, num caldeirão borbulhantes em que os ingredientes do Stoner Rock, Blues e Psych são inteiramente aproveitados.

Psychoriffadelia é mais um bom trabalho da Geezer e reafirma a qualidade do legado que a banda vem construindo. Apesar do álbum anterior continuar sendo o meu favorito do grupo, Psychoriffadelia é um álbum com muitos aspectos positivos e um dos lançamentos mais equilibrados do gênero no ano. Para se escutar em alto e bom som, sem moderação!

Faixas favoritas: Stressknots e Psychoriffadelia

(translation in the comments)

Anúncios

Um comentário sobre “Geezer – Psychoriffadelia

  1. ALBUM REVIEW: Geezer – Psychoriffadelia

    It’s a good season to Geezer’s fans, a few months after the praised self titled album the band returns with their new work Psychoriffadelia, released via Kozmik Artifactz and STB Records. And without being restricted to what was presented on the previous album, Geezer follows its journey through the universe of heavy riffs and stoner music.

    Possessing an approach that recalls something coming from the stoner rock scene of the 90s, as well as the addition of elements coming from blues rock and intoxicating doses of psychedelic music, the album will be widely appreciated by fans of the genre. From the opening with the exceptional cover of Nazareth’s “Hair of the Dog” to the last chords of the closing track “Dirty Penny”, the trio formed by Pat Harrington (vocals, guitar), Richie Touseull (bass) and Charles Ruggiero (drums), demonstrates all their power throughout almost 40 minutes of the album’s duration.

    “Stressknots” delivers delirious doses of the bluesy stoner rock that trio can do with a lot of authority, highlighting Pat’s great vocal performance. “Red Hook” follows an approach combining blues with folk, with the guitar slide being often the highlight of the track that features a more reflexive tone. “Psychoriffadelia” and “Dirty Penny” are the two longest tracks on the album, both presenting interesting developments. While “Psychoriffadelia” features a cosmic aura and hazy atmospheres that equate to the essence of the previous work, “Dirty penny” treats all structures with strong rhythms and infectious riffs in a bubbly cauldron in which the ingredients of stoner rock, blues and psych are fully utilized.

    Psychoriffadelia is another good release from Geezer and reaffirms the quality of the legacy that the band has been building. Psychoriffadelia is an album with many positive aspects and one of the most balanced releases of the genre in the year. To listen in loud and good sound, without moderation!

    Favorite tracks: Stressknots and Psychoriffadelia

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s