Entrevista: Komatsu

Padrão

Se aproximando do início da turnê da banda holandesa Komatsu no Brasil, trazemos até vocês uma entrevista realizada com a banda recentemente. Apesar do período relativamente curto de carreira, a banda já lançou um EP e dois álbuns, sendo “Recipe for Murder One” o mais recente deles, lançado no ano passado e o álbum que terá destaque nas apresentações do grupo pelo país. Boa leitura!

D: Eu gostaria de agradecer pela oportunidade e perguntar, como tem sido a turnê de divulgação do Recipe for Murder One? Vocês estão satisfeitos com o feedback do público e com as resenhas que receberam?

Komatsu: Obrigado à vocês também. É ótimo ver a grande quantidade de atenção à nossa banda.

Ambas as turnês tem sido ótimas. Nós tivemos bons momentos durante a turnê europeia com The Freeks e com Orange Goblin. As reações aos nossos shows foram absolutamente ótimas. Na última semana nós tocamos em Paaspop, um grande festival na Holanda que marca a abertura oficial da temporada de festivais. Nos divertimos muito por lá no palco Thunderbolt lotado. E nós ainda temos que fazer a turnê brasileira daqui a uma semana. Como nós somos sortudos!!

D: Ainda sobre o Recipe for Murder One, o quê influenciou a banda no processo de composição?

Komatsu: Eu escrevo as canções em casa e envio elas para a banda. Eles me dão um retorno e eu altero algumas coisas necessárias e quando nós ensaiamos todos conhecem a nova música. Minhas principais influências são a agressão do velho Punk Rock e os grooves do Stoner e Rock dos anos 70, e algumas vezes algumas bandas de Metal.

D: Para aqueles que ainda não estão familiarizados com a banda, vocês poderiam falar um pouco sobre a origem do grupo e qual mensagem vocês desejam transmitir com sua música?

Komatsu: Nós somos uma banda da cidade de Eindhoven na Holanda. Nós começamos a Komatsu em 2010. Gravamos um EP e dois álbuns de estúdio, “Manu Armata” (2013) e “Recipe for Murder One (2016). Entre os álbuns nós gravamos um Split com a Desert Storm e lançamos o single “So How’s About Billy”. Já tocamos com bandas como Queens of the Stone Age, Mastodon, Red Fang, Clutch, Karma to Burn, Truckighters, entre outras, e fizemos algumas turnês européias com John Garcia, Mondo Generator, Duel e The Freeks.

Não há uma mensagem explícita em nossa música. Nós apenas gostamos de fazer um rock pesado e alto com uma melodia que fique presa em sua cabeça.

D: Vocês estão muito ansiosos com os shows no Brasil? Os fãs podem esperar a mesma energia que apresentam no estúdio?

Komatsu: Sim, nós estamos muito ansiosos para fazer nossa primeira turnê no Brasil. É um belo país e nós adoraríamos conhecer pessoas pelo Brasil. Vocês podem esperar mais energia ao vivo do que em nossos álbuns. Nós com certeza somos uma banda de performances ao vivo, é difícil gravar um álbum e captar a energia que trazemos ao vivo.

D: Vocês possuem influências claras de bandas como Kyuss e Down. Eu gostaria de saber, quais bandas holandesas influenciaram vocês?

Komatsu: Deixe me ver se vocês conhecem alguma delas. Nós temos algumas bandas Punk excelentes na Holanda que me influenciaram muito. BGK, Pandemonium, The Ex, Peter Pan Speedrock e claro, Lorie Spee.

D: Vocês fizeram um cover de July do Slo Burn. Existe algum outro cover que vocês gostariam de gravar?

Komatsu: Uma vez nós tentamos fazer um cover de “Heroes” do David Bowie mas não funcionou muito bem ainda. Recentemente nós fizemos o cover de “Megadestitas”, uma música da Peter Pan Speedrock. Ela está na compilação ‘Houde & Bedankt’ que os homenageia após eles terem parado.

Talvez nós iremos fazer um cover de alguma música do The Melvins no futuro ou alguma coisa dos anos 70. Se nós gravarmos, vamos manter isso como uma surpresa, é claro.

D: No início do ano vocês lançaram o vídeo de Surfing in a Landslide, ela fará parte de algum álbum ou EP?

Komatsu: “Surfing on a Landslide” foi gravada em nosso próprio estúdio. Nós gostamos tanto dela que decidimos fazer um clipe e mostrá-lo ao mundo. Ela provavelmente estará em nosso próximo álbum. Nós esperamos gravá-lo até o final desse ano.

D: Vocês planejam lançar um álbum ao vivo no futuro?

Komatsu: Talvez… eu não sei. Nós temos as gravações de um show na Itália (durante nossa turnê com o The Freeks) mas nós realmente não sabemos por enquanto.

D: Quais são as memórias mais positivas que vocês possuem com a banda durante todos esses anos?

Komatsu: Tocar “July” do Slo Burn com o John Garcia no Speedfest. Fazer uma turnê com o The Freeks pela Europa, foi realmente hilário.

D: Em nome de todos os membros da Doombringer, eu gostaria de agradecer pela entrevista e desejar que sua visita ao Brasil seja marcante. Vocês querem passar uma mensagem final?

Komatsu: Obrigado e espero vocês em nossos shows no Brasil. Vamos nos divertir e festejar!

Komatsu na web: Site / Facebook / Bandcamp


D: First of all, I would like to thank you for the opportunity and ask how the Recipe for Murder One promotion tour has been? Are you satisfied with the feedback from the public and the reviews you received?

Komatsu: Thanks to you as well. Great to see the huge amount of attention to our band.

Yeah, both tours have been great. We had a great time during our European tour with The Freeks and with Orange Goblin. The reaction and respons to our shows were absolutely great. Last week we played Paaspop, a big festival in Holland which forms the official opening of the festival season. We had a blast there at a packed Thunderbolt stage. But we still have Brazil to cover in a week and we are really looking forward to it. Lucky bastards we are!

 

D: Still, on Recipe for Murder One, what influenced the band in the process of composition?

Komatsu: I write the songs at home and send them to the band. They give me feedback and I change some stuff accordingly and by the time we rehearse every one knows the new song. My main influences are the agression of old punkrock and the grooves of stoner and 70’s rock and sometimes some cool metal.

D: For those who are still unfamiliar with band, could you tell us a little bit about the origin of the group and the message you want to transmit with your music?

Komatsu: We are a rock band from Eindhoven in Holland. We started with Komatsu around 2010. We recorded an EP in 2011 and two full length albums ‘Manu Armata’ (2013) and ‘Recipe for murder one'(2016). In between we recorded a splitt 10-inch with Desert Storm (UK) and a 7-inch single of ‘So how’s about Billy’. We suppported bands as Queens of the Stone Age, Mastodon, Red Fang, Clutch, Karma to Burn, Truckfighters and more and did some European tours with John García, Mondo Generator (with Nick Oliveri), Duel and the Freeks (with Ruben Romano).

No explicit mesage in our with our music. We just like to make loud and heavy rock with a melody that sticks in your head.

D: Are you very excited about the shows in Brazil? The fans can expect the same energy that you have in the studio?

Komatsu: Yes, we are very excited to do our first tour in Brasil. It’s a beautifull country and we love to meet the people in Brasil. You can expect more energy live than on our record. We are for shure a live band. It’s hard to record and catch the energy we bring live.

D: You have some very clear influences of bands like Kyuss and Down. I want to know which dutch bands influenced you?

Komatsu: Let’s see if you know any of them. We had some great punkbands in Holland that influenced me a lot: BGK, Pandemonium,The Ex, Peter Pan Speedrock and of course Lori Spee.

D: You covered July from Slo Burn. Is there any other cover you would like to record?

Komatsu: We once tried to cover ‘Heroes’ from David Bowie but it has not worked out yet. Recently we covered ‘Megadestitas’, a song by Peter Pan Speedrock. It’s on the compilation album ‘Houdoe & bedankt’ (Lighttown Fidelity, 2017) to honour them after they stopped.

Maybe we will cover a song from The Melvins in the future or something from the 70’s. If we record a cover, we will keep it as a surprise of course

D:At the beginning of the year you released the music video of Surfing on a Landslide. Is it going to be part of any album or EP?

Komatsu: ‘Surfing on a landslide’ was recorded at our own studio. We loved it so much we decided to make a clip and send it out into the world. It will probably be on our new upcoming album. We hope to record a new album at the end of this year.

D: Do you plan to release a live album someday?

Komatsu: Maybe.. i don’t know. We have some recordings from a show in Italy (during our tour with the Freeks) but we really don’t know now.

D: What are the most positive memories you have with the band during all these years?

Komatsu: Playing ‘July’ from Slo Burn with John Garcia at Speedfest. Touring with The Freeks through Europe, that was really hilarious.

D: On behalf of all members from Doombringer, I would like to thank you for the interview and wish that your visit to Brazil be remarkable. Do you want to pass some final message?

Komatsu: Thank you and come to our shows in Brasil. Let’s have a great time and party!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s