Warcrab – Scars of Aeons

Padrão

 

a3745009229_10

Facebook / Bandcamp

 

Entre as diversas combinações de estilos, existem algumas que lhe surpreendem com o resultado final quando a banda consegue reunir a essência básica de cada um deles e criar sua música à partir disso. Ao menos, essa seria  lógica mais apropriada e não tentar soar como uma série de retalhos reunidos sem inspiração. A banda britânica Warcrab, conseguiu desenvolver essa reunião de ideias e estilos que toma como influência em seu segundo álbum Scars of Aeons, passando por nomes como Autopsy, Bolt Thrower e Crowbar, sua música é uma verdadeira devastação sonora.

A reunião do Death, Sludge e Doom é tão implacável e selvagem quanto você possa imaginar, com a Warcrab conaeguindo criar algo completo em termos de utilização desses estilos. A banda formada por Martyn Grant (vocal), Dave Simmonds (baixo), Rich Parker (bateria) e o trio de guitarristas Geoff Holmes, Paul Garbett e Leigh Jones, entregam performances que ajudam a causar o impacto destrutivo que o álbum tem entre suas principais características.

“Conquest” e “Destroyer” já deixam bem claro o modo em que a banda abordará sua música, distribuindo pancadas brutais na bateria e riffs ferozes que esmagarão tudo o que estiver em seu caminho. “In the Shadow of Grief” tem um tom mais introspectivo em relação às demais faixas, partindo de um ritmo maia cadenciado e uma atmosfera melancólica, a faixa passar por um processo de evolução lento. Mas a banda trata de te lembrar que está a golpear seus tímpanos impiedosamente através de passagens repletas de peso e vocais monstruosos. Já caminhando para o desfecho do álbum, “Bury me Before I’m Born” mantém o tom agressivo e apresenta um ritmo objetivo que agrada. A extensa faixa título é o encerramento e aquela que melhor define a música da Warcrab. Além de trazer um equilíbrio entre o plano principal completamente pesado e agressivo, a banda consegue dar ênfase em passagens com andamento mais arrastado e levemente melancólicos, criando um desfecho apropriado para o álbum.

A Warcrb segue uma fórmula que não lhe cederá tempo para desviar sua atenção das cinco faixas presentes, criando uma representação cavernosa, pesada e doentia do Death / Sludge / Doom. O álbum será lançado em CD pela Transcending Obscurity Records no dia 1 de Maio. Também disponível em formato digital pela Black Bow Records.

Tracklist:

  1. Conquest
  2. Destroyer
  3. In the Shadow of Grief
  4. Bury me Before I’m Born
  5. Scars of Aeons
Anúncios

Um comentário sobre “Warcrab – Scars of Aeons

  1. Among the various combinations of styles, there are some that surprise you with the final result when the band manages to gather the basic essence of each one of them and create his music from there. At least, that would be the appropriate logic and not try to sound like a series of uninspired pieces reunited together. The British band Warcrab has managed to develop this gathering of ideas and styles that takes influence on their second album Scars of Aeons, including names like Autopsy, Bolt Thrower and Crowbar, their music is a real devastation.

    The Death, Sludge and Doom meeting is as ruthless and savage as you can imagine, with Warcrab managing to create something complete in terms of using those styles. Martyn Grant (vocals), Dave Simmonds (bass), Rich Parker (drums) and guitar trio Geoff Holmes, Paul Garbett and Leigh Jones, deliver performances that help to bring about the destructive impact the album has as one of their main features.

    “Conquest” and “Destroyer” already make clear how the band will approach their music, delivering brutal drumming and fierce riffs that will crush everything in their path. “In the Shadow of Grief” has a introspective tone in relation to the other tracks, starting from a cadenced rhythm and a melancholy atmosphere, the track undergoes a slow evolution process. But the band tries to remind you that it is pounding your eardrums mercilessly through heavily passages and monstrous vocals. Already heading towards the album’s ending, “Bury Me Before I’m Born” keeps the aggressive tone and presents an objective rhythm that pleases. The extensive title track is the closing and one that best defines the music of Warcrab. In addition to bring a balance between the overly heavy and aggressive main plane, the band manages to emphasize passages with a dragged tempo and slightly melancholy, creating an appropriate outcome for the album.

    Warcrb follows a formula that will not allow you time to divert your attention from the five tracks present, creating a cavernous, heavy and sickly representation of Death / Sludge / Doom. The album will be released on CD by Transcending Obscurity Records on May 1st. Also available in digital format by Black Bow Records.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s