Toke – (Orange) (2017)

Padrão

a1877001153_16

Facebook / Bandcamp
Merch

A Toke é banda que não pode passar despercebida entre aquelas que lançaram novo material no mês de Janeiro, se o seu debut homônimo já demonstrava que a banda possuía qualidade e uma sonoridade bem interessante que seguia uma abordagem à qual já estamos acostumados e adoramos, em Orange a banda não deixou por menos.

O power trio formado por Jeremy (bateria), Tim (guitarra) e Bronco (baixo e vocal) entrega uma álbum que combina as características mais agressivas e imundas do Sludge, com a aura chapante do Stoner Metal. Você pode assimilar a sonoridade feita pela Toke com algo vindo de nomes como Weedeater, Dopefight e afins, mas deve-se levar em conta que é uma banda que tem sua própria identidade e aplica sua marca em cada uma das seis faixas presentes em (Orange).

Apesar da curta duração do álbum (beirando os 24 minutos), a Toke nos apresenta um ritmo frenético e beirando à paranóia que não lhe dará pausa para recuperar o fôlego em nenhum momento. Direto e sem desviar o foco, a banda distribui pancadas letais em faixas como “Within The Sinister Void” e “Blackened”, que embora sejam pesadas e agressivas, possuem uma aura chapada que exala através dos riffs repletos de fuzz que a banda executa.

Os vocais seguem a linha mais harsh do Sludge e são um dos pontos de destaque do trabalho, principalmente na insana “Legalize Sin”, uma das melhores faixas do trabalho. Destaque também para a faixa “Weak Life”, que conta com a partição do T-Roy da Sourvein. Vale destacar também a performance individual de cada membro no álbum, (Orange) não é um álbum notável apenas pelo seu estoque maligno de riffs que vão derreter sua mente, Bronco apresenta linhas de baixo pulsantes e bem nítidas e Jeremy nos presenteia com uma performance matadora na bateria, esmagando nossos tímpanos a cada nova série de pancadas aplicadas por ele.

(Orange) é um dos destaques do mês de Janeiro, tive a oportunidade de escutar o álbum diversas vezes desde o seu lançamento e é um tipo de sonoridade com a qual eu tenho grande afinidade. Confiram o trabalho feito pelo trio sem moderação!

Tracklist:
01 – Within The Sinister Void
02 – Weight Of The World
03 – Blackened
04 – Weak Life (Feat. T-Roy of Sourvein)
05 – Legalize Sin
06 – Four Hours For Hours

Anúncios

Um comentário sobre “Toke – (Orange) (2017)

  1. Toke is a band that can’t go unnoticed among those who released new material in January, if its debut album had already demonstrated that the band had quality and a very interesting sound that followed an approach that we are already accustomed and love, in (Orange) the band did not let for less.

    The power trio formed by Jeremy (drums), Tim (guitar) and Bronco (bass and vocals) delivers an album that combines the most aggressive and filthy features of Sludge, with the weedian aura of Stoner Metal. You can assimilate the sound made by Toke with something coming from names like Weedeater, Dopefight and others, but it must be taken into account that it’s a band that has its own identity and applies its mark on each of the six tracks present in (Orange ).

    Despite the short length of the album (topping the 24 minutes), Toke presents us with a frenetic pace and bordering on paranoia that will not give you pause to catch your breath in no time. Straight forward and without straying from focus, the band distributes lethal hits on tracks such as “Within The Sinister Void” and “Blackened”, which although heavy and aggressive, have a dope aura that exhales through the fuzz-filled riffs that the band performs.

    The vocals follow the harshest line of Sludge and are one of the highlights of the work, especially in the insane “Legalize Sin”, one of the best tracks of the album. Also noteworthy for the track “Weak Life”, which features T-Roy from Sourvein. Also noteworthy is the individual performance of each member on the album, (Orange) is not an album notable only for its evil stock of riffs that will melt your mind, Bronco presents pulsating bass lines and very crisp and Jeremy presents us with a killer performance on the drums, crushing our eardrums with each new series of hits applied by him.

    (Orange) is one of the highlights of the month of January, I had the opportunity to listen to the album several times since its release and is a kind of sonority with which I have great affinity. Check out the work done by this power trio without moderation!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s