Goya – Doomed Planet

Estados Unidos
Facebook / Bandcamp / Spotify

Doomed Planet é a oferenda mais recente da Goya ao seu fiel culto de seguidores e mais uma vez a banda é capaz de se manter no padrão mais alto dentro do estilo, entregando um EP impecável e com mais algumas doses generosas de sua sonoridade sombria e viciante.

As 4 faixas possuem características principais distintas, sendo que as duas primeiras se encaixam dentro de um mesmo padrão. “Doomed Planet” e “Hoof and Bone” são dois hinos sombrios ao oculto, na manifestação mais maligna que a Goya é capaz de fazer, e cara, como eles fazem isso bem!

Partindo da faixa título que inicia o EP, ela traz toda aquela série de riffs densos e pesados, a combinação ideal entre o Doom / Stoner com toda aquela imundice e intensidade vindas do Sludge. Os vocais emanam todo o desespero e agonia refletidos nas letras e são um dos grandes destaques da faixa. A atmosfera carregada que envolve o instrumental é impressionante, assim como a mistura de peso e densidade que culminam em um refrão intenso e com um tom hipnótico perfeito. Só para citar como exemplo, uma das bandas que me causa uma sensação parecida com essa é a Cough.

“Hoof and Bone” vem a seguir e mantém uma longa duração como a Doomed Planet. Aqui o ritmo é mais lento e produz uma sensação de profundidade assustadora. Sem pressa, a banda entrega uma série de riffs capazes de esmagar nossos ouvidos, em companhia das trovoadas reproduzidas no baixo e do passo marcante da bateria. O vocal novamente é um ponto de destaque no decorrer da faixa, os berros furiosos emitidos no refrão “the time has come to say goodbye” surtem efeito imediato. O fim está próximo e é eminente, mas isso não parece ter importância enquanto nos envolvemos na escuridão sonora feita pela Goya.

“Sorrow” é um leve interlúdio instrumental, a calma após a tempestade entregue pelas duas faixas anteriores. Simples mas efetiva, ela nos conduz ao encerramento do EP. Confesso que fiquei surpreso com o desfecho, a Goya traz um cover furioso de “Dogma” do Marilyn Manson. Eu particularmente aprecio quando as bandas dão sua essência à faixas de artistas de gêneros diferentes, e nesse caso não foi diferente. “Dogma” tem toda uma energia Hardcore / Punk que foi bem aproveitada pela Goya, sem falar dos resquícios do Industrial característico do Manson que existem. Direta, crua e furiosa, não há como não se contagiar pelo ritmo caótico e pesado existente nessa versão.

Doomed Planet não é nenhuma surpresa para os seguidores da Goya, se mantém em um padrão de qualidade elevado e vem apenas acrescentar de maneira positiva na ótima discografia da banda.

Tracklist:
01 – Doomed Planet
02 – Hoof and Bone
03 – Sorrow
04 – Dogma (Marilyn Manson Cover)

Anúncios

Uma opinião sobre “Goya – Doomed Planet”

  1. Doomed Planet is Goya’s latest offering to its loyal followers cult and once again the band is able to stay in the highest standard within the style, delivering a flawless EP with a few more generous doses of its somber and addictive sound .

    The 4 tracks have different main characteristics, the first two of which fit within the same pattern. “Doomed Planet” and “Hoof and Bone” are two dark hymns to the occult, in the most evil manifestation that Goya is able to do, and man, how they do it well!

    Starting from the title track that opens the EP, it brings all that series of heavy riffs, the ideal combination between Doom / Stoner with all that filth and intensity coming from Sludge. The vocals emanate all the despair and agony reflected in the lyrics and are one of the great highlights of the track. The charged atmosphere surrounding the instrumental is impressive, as is the mixture of heaviness and density that culminates in an intense chorus with a perfect hypnotic tone. Just to cite as an example, one of the bands that makes me feel like this is Cough.

    “Hoof and Bone” comes next and holds a long duration as Doomed Planet. Here the pace is slower and produces a scary sense of depth. Unhurriedly, the band delivers a series of riffs that can crush our ears, in the company of thunderstorms played on the bass and the striking stride of the drums. The vocal again is a point of prominence throughout the track, the furious yells emitted in the refrain “the time has come to say goodbye” take immediately effect. The end is near and is imminent, but this does not seem to matter as we engage in Goya’s darkness.

    “Sorrow” is a light instrumental interlude, the calm after the storm delivered by the two previous tracks. Simple but effective, it leads us to the closing of the EP. I confess I was surprised by the outcome, Goya brings a furious cover of “Dogma” by Marilyn Manson. I particularly appreciate when bands give their essence to tracks of artists from different genres, and in that case it was no different. “Dogma” has all the Hardcore / Punk energy that was well used by Goya, not to mention the remnants of the characteristic Manson Industrial that exist. Straight, raw and furious, there is no way not to be infected by the chaotic and heavy rhythm that exists in this version.

    Doomed Planet is no surprise to Goya’s followers, it remains in a high quality standard and only adds positively to the band’s great discography.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s