Grajo – Grajo

Padrão

Grajo – Grajo

Space / Stoner / Doom
Espanha (Spain)
Facebook / Bandcamp
DHU Records / Nooirax Producciones / Abusive Noise Tapes

A banda Grajo lançou seu debut auto intitulado no dia 4 de Maio e é um daqueles trabalhos que não podem passar despercebidos. A banda consegue desenvolver uma sonoridade altamente envolvente e capaz de criar uma ligação imediata com o ouvinte, mantendo um padrão de muita qualidade em todas as 6 faixas que compõe o álbum. A banda formada por Liz (vocal), Félix (bateria), Pistolo (baixo) e Josef (guitarra / teremim), apresenta um repertório agradável de ideias e conduz o álbum com muita autoridade, fazendo dele um lançamento indispensável para os seguidores do gênero.

Uma das principais características do álbum é atmosfera profunda e incrivelmente tocante criada pela banda, ela dá um clima único na sonoridade da Grajo e é muito bem inserida e executada ao longo das faixas. A guitarra desempenha um papel fundamental na construção dessa atmosfera, alternando entre riffs pesados, passagens mais melódicas e alguns efeitos de distorção bem explorados. A opção da banda pelo uso do teremim é algo interessante, ele é aplicado de forma inteligente e consciente, fortalecendo o clima atmosférico do álbum e ajudando a desenvolver a pegada Space contida no instrumental. Outro ponto fundamental para a qualidade do trabalho é o ótimo desempenho da vocalista Liz, muito exigida ao longo do trabalho mas que se mostra altamente competente e versátil, com seus cânticos alternando entre um tom suave e pacífico, e aqueles num tom sombrio e hipnotizante.

A faixa de abertura “I am the Sea” segue um ritmo cadenciado, possui um refrão explosivo e bem atmosférico, com o vocal da Liz sendo muito marcante. As distorções na guitarra e o uso sutil do teremim complementam esta faixa.

“Golden Cemetery (Betrayal)” apresenta uma construção mais elaborada, trazendo uma variação de ritmos impressionante. O refrão possui um clima profundo e sombrio, e a guitarra é mais detalhada em muitos momentos. Logo após um leve interlúdio dentro da faixa,  o instrumental recebe uma intensidade que é extendida durante os instantes finais.

Em “Magic Eye” a banda faz um bom uso do teremim, apresenta linhas de baixo mais marcantes, um refrão mais limpo e menos atmosférico que os demais, além de um solo de guitarra repleto de psicodelismo e um desempenho fantástico da Liz.

“The Devil Rides Out” segue um ritmo mais acelerado que as demais faixas e uma abordagem mais direta e orientada, mas não perde a característica de entregar belas melodias e uma atmosfera consistente no refrão.

O ritmo monolítico inicial da faixa “Imperium” recebe um detalhamento interessante à medida que a faixa avança, o vocal da Liz soa distante em cânticos sombrios e prolongados em meio ao instrumental pesado e levemente viajado, é uma faixa mais previsível que as anteriores mas bem interessante e executada.

“Feeding Our Demons” é uma faixa bônus que encerra o álbum, o instrumental apresenta uma progressão marcante e bem construída, seguindo um ritmo arrastado e muito pesado. O refrão da faixa mantém a pegada atmosférica característica ao longo do álbum, com ótimo uso do teremim e o vocal sendo mais exigido. A faixa consegue reunir todos os principais elementos contidos na música da Grajo e executá-los de forma precisa e bem conduzida.

A banda apresenta uma diversidade entre peso, ritmos cadenciados, clima sombrio, belas harmonias e uma atmosfera incrível no seu álbum de estréia, além de contar com uma produção muito bem realizada e que permite ao ouvinte apreciar da melhor maneira possível o trabalho promissor da Grajo.

=====

Grajo released their self titled debut on 4 May and is one of those releases that can not go unnoticed. The band can develop a highly immersive sound and is able to create a direct connection with the listener, maintaining a standard of great quality in all six tracks that make up the album. The band formed by Liz (vocals), Felix (drums), Pistolo (bass) and Josef (guitar / Theremin), has a nice repertoire of ideas and leads the album with a lot of authority, making it an essential release to the genre followers .

One of the main features of the album is the deep and incredibly touching atmosphere created by the band, it gives a unique climate in the sound of Grajo and is very well placed and executed along the tracks. The guitar plays a key role in building this atmosphere, alternating between heavy riffs, more melodic passages and some distorting effects well explored. The band option for the use of Theremin is something interesting, it’s applied intelligently and consciously strengthening the atmospheric climate of the album and helping to develop the Space footprint contained in the instruments. Another key point for the quality of the work is the optimal performance of singer Liz, very required throughout the work and shows highly competent and versatile, with his chants alternating between smooth and peaceful tone, and those in a dark and mesmerizing tone.

The opening track “I Am the Sea” follows a measured pace, has an explosive and very atmospheric chorus, with the vocals of Liz being very striking. The distortion on the guitar and the subtle use of theremim complement this track.

“Golden Cemetery (Betrayal)” presents a more elaborate construction, bringing a varioation of impressive rhythms. The chorus has a deep and gloomy vibe and the guitar is more detailed in many times. Shortly after a light interlude the instrumental receives an intensity that is extended during the final moments.

In “Magic Eye” the band makes a good use of theremim again, presents the most striking bass lines, cleaner chorus and less atmospheric than the other, a guitar solo full of psychedelia and a fantastic performance from Liz.

“The Devil Rides Out” follows a faster rhythm than the other tracks and a more direct and targeted approach, but do not lose the characteristic of delivering beautiful melodies and a consistent atmosphere in the chorus.

The initial monolithic rhythm of the song “Imperium” gets an interesting detail as the track progresses, the vocals of Liz sounds far in dark and prolonged chants amid the heavy and lightly traveled instrumental, is a more predictable track than earlier but well interesting and executed.

“Feeding Our Demons” is a bonus track that closes the album, the instrumental features a striking and well-built progression, following a dragged and very heavy pace. The band chorus maintainsthe  atmospheric footprint throughout the album, with great use of theremim and the vocal is more required. The band manages to bring together all the main elements of the music from Grajo and execute them precisely and well conducted.

The band presents a variety of weight, cadenced rhythms, gloomy vibe, beautiful harmonies and an amazing atmosphere on their debut album, in addition to having a production well done and allows the listener to enjoy the best as possible way the promising work of Grajo .

Tracklist:

01 – I Am The Sea
02 – Golden Cemetery (Betrayal)
03 – Magic Eye
04 – The Devil Rides Out
05 – Imperium
06 – Feeding Our Demons

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s